Como desmontar e remontar um pc

Bom, como prometido, aqui esta o video "Como desmontar e remontar um pc".
Desculpem pela qualidade do video, mas prometo colocar posteriormente um video melhor.

video

"Faça mais rapido"

video

Como funciona a Fonte


Introdução

Se existe um componente absolutamente vital para o funcionamento de um computador, este é a fonte de alimentação. Sem ela, o computador é apenas uma caixa de plástico e metal sem função. A fonte de alimentação converte a corrente alternada (AC) da sua casa em corrente contínua (DC), necessária para o funcionamento do seu computador. Neste artigo, aprenderemos como funciona a fonte de alimentação do computador e o que significa potência wattagem da fonte.

Fonte de alimentação
Em um computador, a fonte de alimentação é uma caixa de metal posicionada geralmente no canto do gabinete. Ela é visível na parte de trás da maioria dos equipamentos, e nela estão o conector do cabo de força e a ventoinha.
Esta é uma fonte de alimentação retirada de um computador. O pequeno interruptor vermelho, à direita, em cima do conector do cabo de força, serve para trocar a voltagem, de acordo com sistemas adotados em diferentes países.

Interior de uma fonte de alimentação
As fontes de alimentação, geralmente chamadas de "fontes chaveadas", usam a tecnologia do chaveamento para converter a tensão alternada (AC) em tensão contínua (DC) de nível mais baixo. Os níveis típicos de tensões de alimentação são:
  • 3,3 volts
  • 5 volts
  • 12 volts
Os circuitos digitais utilizam tensões de 3,3 e 5 volts, enquanto a tensão de 12 volts é utilizada para fazer funcionar os motores dos drivers de disco e das ventoinhas. A especificação principal de uma fonte de alimentação é o watts. Um watt é o produto da voltagem em volts pela corrente em ampères. Se você trabalha com computadores há muitos anos, deve se lembrar que as antigas máquinas tinham interruptores vermelhos, grandes e pesados. Estes interruptores, na realidade, controlavam a aplicação da tensão de 120 volts na fonte de alimentação.
Hoje você liga o equipamento ao pressionar um pequeno botão e o desliga através de uma das opções do menu. Estas possibilidades foram adicionadas às fontes de alimentação há alguns anos. O sistema operacional pode mandar um sinal para a fonte de alimentação desligar. O botão de ligar envia um sinal de 5 volts para a fonte de alimentação avisando-a quando deve ligar. A fonte de alimentação possui também um circuito que fornece 5 volts de denominado "standby voltage" (VSB), mesmo quando o computador está desligado, fazendo com que o botão funcione, quando acionado.

A tecnologia da fonte chaveada
Antes de 1980, as fontes de alimentação costumavam ser pesadas e volumosas. Elas usavam transformadores grandes, pesados e enormes capacitores (alguns tão grandes quanto latas de refrigerante) para converter tensões alternadas de 120 ou 220 volts e 60 hertz em tensões contínuas 5 e 12 volts.
As fontes chaveadas utilizadas hoje são muito menores e mais leves. Elas convertem o sinal de 60 Hertz (Hz, ou ciclos por segundo) para uma freqüência muito mais alta, o que significa mais ciclos por segundo. Esta conversão possibilita que o transformador pequeno e leve na fonte de alimentação baixe a tensão de 110 volts (ou 220 em alguns países) para a tensão adequada a um determinado componente do computador. O sinal alternado de alta freqüência, obtido por uma fonte chaveada, é também mais fácil de retificar e filtrar, se comparado ao sinal original de 60 Hz de rede elétrica, reduzindo as de tensões nos componentes eletrônicos do computador.

Nesta foto você pode ver três pequenos transformadores (amarelos) no centro. À esquerda estão dois capacitores cilíndricos. As peças grandes de alumínio são os dissipadores de calor. O dissipador de calor esquerdo possui transistores fixados a ele. Estes são os transistores encarregados de fazer o chaveamento, fornecendo energia de alta freqüência aos transformadores. Fixado ao dissipador de calor da direita estão os diodos que retificam os sinais alternados, transformando-os em contínuos.
Uma fonte chaveada retira da rede elétrica apenas a energia de que necessita. As tensões e correntes típicas fornecidas por uma fonte de alimentação são mostradas na sua placa de identificação.
Placa de identificação da fonte de alimentação de um computador:
VSB é o sinal "standby voltage" utilizado pelo botão de energização da fonte.
A tecnologia empregada na fonte chaveada também é utilizada para transformar sinal contínuo em alternado, como encontrado em vários inversores de energia de automóveis, que utilizam equipamentos AC. Essa tecnologia transforma a tensão contínua da bateria do carro em tensão alternada.
Padronização das fontes de alimentação
Já existiram pelo menos seis padrões diferentes de fontes de alimentação para computadores. Recentemente a indústria adotou a fonte de alimentação baseada no modelo ATX. ATX é uma especificação industrial que indica que a fonte de alimentação tem as características físicas para encaixar-se em um gabinete ATX e que possui as características elétricas para trabalhar com uma placa mãe ATX.
Os cabos da fonte de alimentação do computador utilizam conectores padronizados, o que torna difícil conectar de forma errada. Os fabricantes de ventoinhas geralmente usam os mesmos conectores, utilizados nos cabos de alimentação dos demais periféricos, permitindo que esta obtenha facilmente os 12 volts de que necessita. Os fios codificados por cores e os conectores padrão tornam possível ao consumidor ter muitas escolhas para a substituição de uma fonte de alimentação.
Fonte de alimentação removida do gabinete do computador: à direita, os cabos e conectores que fornecem a tensão contínua.
Gerenciamento avançado de alimentação
O gerenciamento avançado de alimentação (APM) oferece um conjunto de cinco diferentes estados em que o seu sistema pode se encontrar. Ele foi desenvolvido pela Microsoft e pela Intel para os usuários que desejam economizar energia. Cada componente do sistema, incluindo o
sistema operacional, o sistema básico de entrada e saída (BIOS), a placa mãe e os dispositivos conectados, todos precisam ser compatíveis com o APM para utilizar esta característica. Se você deseja desativar o APM porque suspeita que ele está consumindo recursos do sistema ou causando conflitos, a melhor maneira de fazê-lo é através da BIOS. Assim o sistema operacional não tentará reinstalá-lo, o que poderia acontecer se ele fosse desativado apenas através do software.
Potência da fonte de alimentação
Uma fonte chaveada de 400 watts não irá necessariamente utilizar mais energia do que uma de 250 watts. Uma fonte maior será necessária se você utilizar todos os slots (conectores de interface) da placa mãe ou cada compartimento disponível no gabinete do computador. Não é uma boa idéia ter uma fonte de 250 watts se você tiver um total de 250 watts em dispositivos, uma vez que a fonte não deve ter sua capacidade carregada em 100%.
De acordo com a empresa PC Power and Cooling, Inc. (em inglês), alguns valores de consumo de potência (em watts) para itens comuns de computador são:
Item do computador
Watts
Interface de vídeo padrão AGP
20 a 30W
Interface padrão PCI
5W
Cartão PCI SCSI
20 a 25W
5W
Interface de rede
4W
CD-ROM com velocidade 50x
10 a 25W
10W por 128Mb
Dispositivo de disco rígido Integrated Drive Eletronics (IDE) 5.200 RPM
5 a 11W
Dispositivo de disco rígido IDE 7.200 RPM
5 a 15W
Placa-mãe (sem CPU ou RAM)
20 a 30W
Pentium III 550 MHz
30W
Pentium III 733 MHz
23,5W
Celeron 300 MHz
18W
Athlon 600 MHz
45W
Fontes de alimentação de mesmo fator de forma (refere-se ao atual modelo da placa mãe) são diferenciadas pela potência fornecida e pela extensão da garantia.
Problemas da fonte de alimentação
A fonte de alimentação de um computador é provavelmente o item mais propenso a falhar. Ela aquece e resfria cada vez que é utilizada e recebe um surto de corrente quando o computador é ligado. O ventilador parado é um aviso de falha na fonte de alimentação devido ao subseqüente superaquecimento dos componentes. Todos os dispositivos de um PC recebem tensão contínua através da fonte de alimentação.
Um problema comum na fonte de alimentação geralmente é percebido através do cheiro de queimado ao desligar o computador. Outro problema é se o ventilador, que é vital, falhar, o que causará o superaquecimento dos componentes da fonte de alimentação.
Para qualquer defeito da fonte de alimentação, utilize a documentação que veio com o seu computador. Se você alguma vez removeu o gabinete do seu computador para acrescentar uma placa ou memória, está apto a substituir a fonte de alimentação. Certifique-se de primeiro retirar o cabo de alimentação, uma vez que as tensões estão presentes mesmo com o computador desligado.
Melhorias na fonte de alimentação
Recentes melhorias na placa-mãe e no chipset permitem aos usuários verificar as rotações por minuto da ventoinha da fonte de alimentação via BIOS e através de uma aplicação do Windows fornecida pelo fabricante da placa mãe. Novos projetos oferecem um controle do ventilador de modo que ele funcione apenas com a velocidade necessária, de acordo com a necessidade de refrigeração.
Projetos recentes em servidores da Web incluem fontes de alimentação com fonte sobressalente, o que permite a troca de uma fonte enquanto a outra está em uso. Alguns computadores novos, particularmente aqueles projetados para serem usados como servidores, possuem fontes extras. Isto significa que há duas ou mais fontes de alimentação no sistema, uma fornecendo a energia e a outra atuando como reserva. A fonte reserva entra em ação imediatamente no caso de falha da fonte principal. Então a fonte principal pode ser trocada enquanto a outra está em uso.



Como criar uma pasta invisivel

Para criar uma pasta invisível é muito simples, primeiro crie uma pasta, segure "CTRL" + "SHIFT", clic na letra "N" e solte tudo (estas são as teclas de atalho para criar uma nova pasta), logo apos criar tem que dar um nome a esta pasta, segure a tecla "alt" (NÃO SOLTE) digite pelo teclado numérico 0160, então solte o "ALT".

Veja que a pasta ficou sem nome, agora clic com o botão direito na pasta e vá em propriedades, ou "segure a a tecla "ALT" pressione "ENTER" e solte, irá abrir da mesma forma. Va na guia "personalizado", clic em "alterar ícone", selecione um espaço em branco que seria o ícone, clic em "aplicar" e depois "ok".

Pronto sua pasta invisível esta criada, agora é só colocar seu arquivos lá.

linguagem do speaker

Tem sido bastante comum a postagem de problemas em micros onde é citada a ocorrência de beeps, "apitos" ou "barulhos" emitidos pelo bios da mobo. A referência abaixo é apenas uma generalização do que podem significar esses beeps, que variam de marca de Bios e de placa-mãe, mas que podem dar uma base inicial para a detecção e resolução de alguns problemas.

O código de bips varia de acordo com a marca do BIOS (Award ou AMI por exemplo) podendo também haver pequenas mudanças de uma placa-mãe para outra. Geralmente, o manual da placa-mãe traz uma tabela com as seqüências de bips usadas. As instruções a seguir lhe servirão como referência caso não tenha em mãos o manual da placa-mãe:

    1 Bip Curto: Post Executado com sucesso: Este é um Bip feliz emitido pelo BIOS quando o POST é executado com sucesso. Caso o seu sistema esteja inicializando normalmente e você não esteja ouvindo este Bip , verifique se o speaker está ligado à placa-mãe corretamente.

    1 Bip longo: Falha no Refresh (refresh Failure) : O circuito de refresh da placa-mãe está com problemas, isto pode ser causado por danos na placa-mãe ou falhas nos módulos de memória RAM

    1 Bip longo e 2 bips curtos; 1 Bip longo e 3 bips curtos: Falha no Vídeo: Problemas com o BIOS da placa de vídeo. Tente retirar a placa, passar borracha de vinil em seus contatos e recolocá-la, talvez em outro slot. Na maioria das vezes este problema é causado por mau contato.

    2 bips curtos: Falha Geral: Não foi possível iniciar o computador. Este problema é causado por uma falha grave em algum componente, que o BIOS não foi capaz de identificar. Em geral o problema é na placa-mãe ou nos módulos de memória.

    2 Bips longos: Erro de paridade: Durante o POST, foi detectado um erro de paridade na memória RAM. Este problema pode ser tanto nos módulos de memória quanto nos próprios circuitos de paridade. Para determinar a causa do problema, basta fazer um teste com outros pentes de memória. Caso esteja utilizando pentes de memória sem o Bit de paridade você deve desativar a opção “Parity Check” encontrada no Setup.

    3 Bips longos: Falha nos primeiros 64 KB da memória RAM (Base 64k memory failure) > Foi detectado um problema grave nos primeiros 64 KB da memória RAM. Isto pode ser causado por um defeito nas memórias ou na própria placa-mãe. Outra possibilidade é o problema estar sendo causado por um simples mal contato. Experimente antes de mais nada retirar os pentes de memória, limpar seus contatos usando uma borracha de vinil (aquelas borrachas plásticas de escola) e recoloca-los com cuidado.

    4 Bips Longos: Timer não operacional: O Timer 1 não está operacional ou não está conseguindo encontrar a memória RAM. O problema pode estar na placa-mãe (mais provável) ou nos módulos de memória.

    5 Bips: Erro no processador: O processador está danificado, ou mal encaixado. Verifique se o processador está bem encaixado, e se por descuido você não esqueceu de baixar a alavanca do soquete Zif (acontece nas melhores famílias :-)

    6 Bips: Falha no Gate 20 (8042 - Gate A20 failure): O gate 20 é um sinal gerado pelo chip 8042, responsável por colocar o processador em modo protegido. Neste caso, o problema poderia ser algum dano no processador ou mesmo problemas relacionados com o chip 8042 localizado na placa-mãe.

    7 Bips: Processor exception (interrupt error): O processador gerou uma interrupção de exceção. Significa que o processador está apresentando um comportamento errático. Isso acontece às vezes no caso de um overclock mal sucedido. Se o problema for persistente, experimente baixar a freqüência de operação do processador. Caso não dê certo, considere uma troca.

    8 Bips: Erro na memória da placa de vídeo (display memory error) : Problemas com a placa de vídeo, que podem estar sendo causados também por mal contato. Experimente, como no caso das memórias, retirar a placa de vídeo, passar borracha em seus contatos e recolocar cuidadosamente no slot. Caso não resolva, provavelmente a placa de vídeo está danificada.

    9 Bips: Erro na memória ROM (rom checksum error): Problemas com a memória Flash, onde está gravado o BIOS. Isto pode ser causado por um dano físico no chip do BIOS, por um upgrade de BIOS mal sucedido ou mesmo pela ação de um vírus da linhagem do Chernobil.

    10 Bips: Falha no CMOS shutdown register (CMOS shutdown register error): O chamado de shutdown register enviado pelo CMOS apresentou erro. Este problema é causado por algum defeito no CMOS. Nesse caso será um problema físico do chip, não restando outra opção senão trocar a placa-mãe.

    11 Bips: Problemas com a memória cache (cache memory bad): Foi detectado um erro na memória cache. Geralmente quando isso acontece, o BIOS consegue inicializar o sistema normalmente, desabilitando a memória cache. Mas, claro, isso não é desejável, pois deteriora muito o desempenho do sistema. Uma coisa a ser tentada é entrar no Setup e aumentar os tempos de espera da memória cache. Muitas vezes com esse “refresco” conseguimos que ela volte a funcionar normalmente.

Assim que possível, vou elaborar um texto melhor.

Editado em 19/02/06 - 18:35



 Códigos bip da BIOS AMI

Bips: Nenhum.
Problema: deverá sempre ouvir um bip no boot. Nenhum som quer dizer que existe um problema na coluna, na motherboard ou que uma fonte de alimentação está estragada.
Solução: verifique as ligações da coluna e da fonte de alimentação. Faça as substituições necessárias. Se isto falhar, substitua a motherboard.

Bips: Um curto.
Problema: refresh da RAM; interrupção no relógio ou problemas no controlador.
Solução: substitua a motherboard.

Bips: Dois curtos ou três curtos.
Problema: indica problemas de memória. Se tiver imagem, procure mensagens de erro.
Solução: verifique se os chips de memória estão bem presos ou substitua a memória.

Bips: Quatro curtos.
Problema: avaria do relógio do sistema.
Solução: substitua a motherboard.

Bips: Cinco curtos.
Problema: avaria da CPU.
Solução: substitua o processador.

Bips: Seis curtos.
Problema: erro do teclado.
Solução: substitua o mesmo. Se continuar, o chip pode precisar de ser substituído. Se persistir, substitua a motherboard.

Bips: Sete curtos.
Problema: erro do CPU.
Solução: substitua o CPU e/ou a motherboard.

Bips: Oito curtos.
Problema: avaria da placa gráfica.
Solução: veja se a placa gráfica está bem presa e tente outra vez ? se persistir, substitua a placa.

Bips: Nove curtos.
Problema: erro de ROM checksum. A ROM da BIOS está danificada.
Solução: substitua a ROM da BIOS. Talvez seja mais fácil substituir a motherboard.

Bips: Dez curtos.
Problema: algo se passa com o CMOS.
Solução: substitua a motherboard.

Bips: Onze curtos.
Problema: avaria de memória cache L2. O seu PC desligou-a.
Solução: substitua a memória cache L2 e, se necessário, a motherboard.

Bips: Um longo, três curtos.
Problema: falha no teste de memória RAM, durante os primeiros 64K.
Solução: substitua a RAM e, se necessário, a motherboard.

Bips: Um longo, oito curtos.
Problema: erro no monitor. Avaria da placa gráfica.
Solução: substitua-a. Se isto falhar, substitua a motherboard ou tente usar um adaptador numa slot PCI.

Para informação sobre a BIOS da Phoenix e da Award visite o site www.phoenix.com

Esta comunicação auditiva surge sempre para o caso de não haver qualquer informação no ecrã. Por exemplo, se a sua placa gráfica estiver estragada, o seu PC não pode apresentar uma mensagem de erro no ecrã, ou seja, a única forma que este tem de comunicar-se é através dos bips da BIOS.
Para o caso de pensar que, quando não aparece qualquer mensagem de erro no ecrã, o erro está sempre na placa gráfica, tenha em conta a existência de outros problemas que podem impedir a sua tela de se iniciar. Um cabo desligado é o exemplo mais óbvio, mas pode também tratar-se de uma avaria na motherboard ou da avaria de um dispositivo que seja crucial para o power on self test (POST).
O significado dos bips depende da sua BIOS e muitas vezes da sua motherboard. As BIOS usadas habitualmente são da Award, da Phoenix e da AMI (American Megatrends).

A BIOS da Award é uma das mais utilizadas hoje em dia

A Award foi recentemente adquirida pela Phoenix, por isso pode obter informações sobre ambas em www.phoenix.com. Para informações sobre a BIOS American Megatrends, vá para www.ami.com. Antes de ir seja onde for, porém, examine o manual da sua motherboard. Este inclui detalhes sobre a BIOS específicos da sua motherboard e como tal é a fonte mais exacta que poderá consultar. As BIOS da Phoenix em particular variam de dispositivo para dispositivo, mas todas as três têm diferenças subtis de PC para PC.

Códigos bip da Phoenix

Bips: 1,1,3.
Problema: falha no CMOS.
Solução: substitua a motherboard.

Bips: 1,1,4.
Problema: falha da BIOS.
Solução: substitua-a. Pode ser mais fácil substituir a motherboard.

Bips: 1,2,1.
Problema: relógio.
Solução: substitua a motherboard.

Bips: 1, 2,2 ou 1,2,3 ou 1,3,1 ou 1,3,4 ou 1,4,1 ou 4,2,1 ou 4,3,1 ou 4,3,2 ou 4,3,3.
Problema: erro da motherboard.
Solução: substitua a motherboard.

Bips: 1,3,3.
Problema: memória.
Solução: volte a colocar ou substitua a RAM.

Bips: 1,4,2.
Problema: falha da memória.
Solução: Teste e substitua a RAM.

Bips: 2, qualquer som.
Problema: quaisquer bips depois de dois indicam problemas de memória.
Solução: corra um utilitário de verificação de memória (se puder) e depois substitua a sua RAM, se necessário.

Bips: 3,1, qualquer som.
Problema: a sua motherboard tem um chip defeituoso.
Solução: substitua a motherboard.

Bips: 3,2,4.
Problema: erro do controlador do teclado.
Solução: substitua o teclado, o chip controlador ou a motherboard.

Bips: 3,3,4.
Problema: não há placa gráfica.
Solução: volte a colocar ou substitua a placa gráfica.

Bips: 4,2,2 ou 4,2,3.
Problema: falha do teclado.
Solução: substitua o teclado. Se persistir, o problema é a motherboard. Substitua-a.

Bips: 4,2,4.
Problema: placa de expansão.
Solução: Remova todas as placas de expansão e depois coloque-as uma a uma até encontrar a defeituosa. Depois substitua-a.

Bips: 4,3,4.
Problema: erro de relógio.
Solução: reponha o relógio da motherboard usando o programa de setup. Substitua a bateria do CMOS, se for necessário. Se isso falhar, substitua a fonte de alimentação.

Bips: 4,4,1 ou 4,4,2.
Problema: erro da porta série.
Solução: use o manual da motherboard para desligar as portas série e acrescente uma placa I/O para as substituir.

Bips: 4,4,3.
Problema: co-processador matemático avariado.
Solução: use um programa de diagnósticos de baixo nível para confirmar a origem do problema. Depois desligue-o, pode-se provavelmente passar sem ele.


Problemas com a motherboard?

Esses bips estranhos são a sua motherboard a tentar comunicar consigo.

As tabelas mostram códigos de bip comuns das três BIOS. Umas falam mais do que outras. A Award é a que fala mais suavemente, emitindo bips apenas quando a tela estiver afectada. As outras duas requerem que conte os bips e os distinga entre longos e curtos. Provavelmente precisará de reiniciar umas poucas vezes a sua máquina para confirmar os códigos mais compridos.

Se o código indica que uma peça de hardware está avariada, tente removê-la e voltar a colocá-la. A dilatação e a contracção podem alargar os componentes e soltá-los. Se isto não funcionar, precisa de substituir o hardware em causa. Muitos códigos indicam problemas de motherboard. Tente voltar a colocar os vários componentes antes de a declarar morta.

Award BIOS

Bips: Um longo.
Problema: algo se passa com a memória.
Solução: remova a RAM e volte a colocá-la.

Bips: Um longo, dois curtos ou um longo e três curtos.
Problema: placa gráfica ou a memória desta última.
Solução: substitua a placa gráfica ou a sua memória.

Bips: Contínuo.
Problema: isto é causado normalmente por um problema de memória, mas também pode indicar problemas de vídeo.
Solução: volte a colocar ou substitua a memória e/ou a placa gráfica.

segredos do google

“Do a Barrel Roll”: 10 segredos engraçadinhos do Google
Na semana passada, o termo “Do a Barrel Roll” foi jogado milhares de vezes nas buscas do Google. O motivo? Os caras que trampam por lá resolveram bancar os engraçadinhos e fazer a página de resultados dar uma girada. Ainda não viu? Vai lá e testa! Mas você sabia que essa não é a única brincadeirinha do Google? O Mashable preparou um especial com mais 10 truques que a empresa de buscas já preparou. Confira:
Gravidade
Digite “Google Gravity” na busca e clique em “Estou com sorte”. Aí é só assistir o Google desmoronar…
Meio torto
Digite “Askew” e clique em “Buscar”. Aí é só ficar com a cabeça um pouco inclinada para ler tudo.
Chuck Norris
O mais engraçado! Procure por “Chuck Norris” no Google e clique em “Estou com sorte”. O Google não te dá nenhum resultado porque, de acordo com o site, você não encontra Chuck Norris, Chuck Norris encontra você! hahahahah
O Monstro do Lago Ness
Isso é bem legal! Primeiro, você precisa colocar o tema praia no seu iGoogle. Depois, esperar até às 3h14 da madrugada para ver um monstro aparecer…
Quer ver todos os outros segredinhos do Google? Dê uma olhada na galeria que o Mashable fez.

Postagens populares